Jazzbossa.com
COCATB
Mapa | Contato
Jazzbossa.com
Jazzbossa.com | Teoria Musical | Improvisação | Intervalos | Software

Uma Introdução à Improvisação no Jazz, de Marc Sabatella - Tradução de Cláudio Brandt

Índice Geral | Anterior: Bibliografia Comentada: História e Biografia | A seguir: Standards do Jazz

©2007

Teoria Musical
Pauta e Claves
Fórmula de Compasso
Tom e Semitom
Escala Maior
Escalas Menores
Intervalos
Acordes
Aberturas
Acordes de Sétima

Jazz
História
Fundamentos
Rel. Acorde/Escala
Teoria Musical
Harmonia (Maior)
Harm. (Menor Melódica)
Escalas Pentatônicas
Escalas de Blues
Aplicando a Teoria
Improv. s/ Harmonia
Bibliografia
Discografia
Standards

Discografia Comentada

A melhor discografia facilmente disponível de jazz de que eu tenha notícia é o Penguin Guide To Jazz On Compact Disc, que contém entradas e resenhas de virtualmente todos os álbuns de jazz que estavam em catálogo no começo dos anos 90. O livro foi editado no Reino Unido, e tem uma ligeira inclinação vanguardística europeia em suas avaliações, mas ainda é a discografia mais completa, precisa, e geralmente útil de todos os tipos de jazz disponíveis ao público em geral.

A discografia a seguir é incluída para suplementar a discussão sobre história do jazz. Muitos dos músicos e álbuns específicos mencionados nessa discussão são listados aqui, com uma breve descrição de cada um. Os álbuns incluídos na lista são da minha coleção particular, e estão apresentados numa ordem aproximadamente cronológica, organizados por estilo. Tentei incluir principalmente álbuns que eu sei que estão à venda, especialmente os que foram relançados em CD.

Recomendações Básicas

Eu recomendo que você cheque todo álbum mencionado mais de uma vez no texto desta Introdução. Entre esses álbuns estão Kind Of Blue, de Miles Davis, de Giant Steps, de John Coltrane. Esses dois álbuns ilustram muitas das ideias e técnicas discutidas nesta introdução, e são considerados como entre os álbuns mais importantes do jazz de todos os tempos.

Para suplementar estes clássicos álbuns, você deve considerar algumas gravações dos demais músicos da lista "Os Dez Melhores ". A maioria das gravações importantes de Louis Armstrong foram feitas antes do advento do LP, por isso muitos álbuns dele que se compram atualmente são provavelmente compilações. Procure por discos que contenham gravações feitas nos anos 20 com os grupos Hot Five ou Hot Seven. Duke Ellington liderou uma das maiores big bands de todos os tempos, mas também fez muitas gravações em contextos de pequenos grupos. Procure gravações com Cootie Williams, Johnny Hodges, Ben Webster, ou Jimmy Blanton. A voz de Billie Holiday desenvolveu-se e mudou durante a carreira dela; você deve procurar ouvir algo do começo e do fim da carreira dela. As melhores e mais influentes gravações de Charlie Parker foram como líder de um quarteto ou quinteto; há centenas de compilações à sua escolha.

Art Blakey foi o primeiro músico desta lista a gravar extensivamente no formato LP. Qualquer um dos discos dele com os Jazz Messengers do fim dos anos 50 ou começo dos 60, como Moanin' ou Ugetsu, é uma boa escolha. O álbum fundamental de Charles Mingus é Charles Mingus Presents Charles Mingus, que apresenta Eric Dolphy. Para Thelonious Monk, as compilações da Blue Note são excelentes, bem como seus álbuns dos anos 50 e 60 como Brilliant Corners e Monk's Dream. Para Ornette Coleman, tente um de seus primeiros discos com quarteto, como The Shape Of Jazz To Come, e, quando estiver com mais coragem, Free Jazz. Ornette também lidera um grupo voltado ao jazz fusion chamado Prime Time; você podia talvez dar uma checada em alguns dos álbuns deles também.

É difícil imaginar Miles Davis representado com justiça somente pelo Kind Of Blue; você pode também considerar The Birth Of The Cool, Miles Smiles, Sketches Of Spain, e Bitches Brew, no mínimo, já que eles representam diferentes períodos da carreira dele, todas elas inovadoras. Similarmente, John Coltrane não é suficientemente representado somente pelo Giant Steps; você deve complementar este disco com alguma coisa do seu quarteto clássico, como A Love Supreme, e, se estiver sentindo-se aventuroso, um de seus discos posteriores, como Ascension.

Discos

  • Louis Armstrong, The Louis Armstrong Story, Columbia - vários volumes, inclusive discos com o Hot Five e o Hot Seven, bem como gravações com Earl Hines e outros.
  • Art Tatum, The Complete Capitol Recordings, Capitol - gravações solo e em trio.
  • Bix Beiderbecke, Bix Beiderbecke, Columbia - vários volumes, que incluem gravações com várias big bands.
  • Duke Ellington, Duke Ellington, Laserlight — uma amostra que inclui gravações dos anos 30 até os 60, com Johnny Hodges, Cootie Williams, Ben Webster e Paul Gonsalves.
  • Errol Garner, Concert By The Sea, Columbia — este foi durante um longo período o disco mais vendido da história do jazz.
  • Charlie Parker, Bebop & Bird, Hipsville/Rhino - vários volumes, com sessões com Bud Powell, Fats Navarro, Miles Davis, J.J. Johnson, Art Blakey e Max Roach.
  • Charlie Parker, The Quintet, Debut/OJC — uma famosa apresentação ao vivo com Dizzy Gillespie, Bud Powell, Charles Mingus e Max Roach.
  • Bud Powell, The Amazing Bud Powell, Blue Note - gravações com trio e pequenos grupos, com Fats Navarro e Sonny Rollins.
  • Thelonious Monk, The Best Of Thelonious Monk, Blue Note — gravações do começo da fase bop.
  • Miles Davis, The Complete Birth Of The Cool, Capitol - nove peças gravadas em grupo com Lee Konitz, J.J. Johnson, Gerry Mulligan e John Lewis.
  • Lennie Tristano, Wow, Jazz — um sexteto com Lee Konitz e Warne Marsh.
  • Dave Brubeck, Time Out, Columbia — apresentando Paul Desmond e a música "Take Five".
  • Art Blakey and The Jazz Messengers, A Night At Birdland, Blue Note — com Horace Silver e Clifford Brown.
  • Art Blakey and The Jazz Messengers, Moanin', Blue Note - com Lee Morgan e Bobby Timmons.
  • Art Blakey and The Jazz Messengers, Ugetsu, Milestone - com Wayne Shorter, Freddie Hubbard e Curtis Fuller.
  • Clifford Brown, Study In Brown, EmArcy — o quinteto com Max Roach.
  • Horace Silver, The Best Of Horace Silver, Applause - várias de suas composições mais conhecidas.
  • Miles Davis, Walkin', Prestige — um dos discos favoritos de Miles; hard bop com J.J. Johnson e Horace Silver.
  • Lee Morgan, The Sidewinder, Blue Note — hard bop.
  • Miles Davis, Workin' With The Miles Davis Quintet, Prestige — o primeiro excelente quinteto com John Coltrane, Red Garland, Paul Chambers, Philly Joe Jones.
  • Miles Davis, Kind Of Blue, Columbia — o álbum modal essencial, com John Coltrane, Cannonball Adderly, Bill Evans e Wynton Kelly.
  • Miles Davis, Complete Concert 1964, Columbia — o precursor do segundo excelente quinteto, com George Coleman, Herbie Hancock, Ron Carter e Tony Williams, tocando standards.
  • Miles Davis, Miles Smiles, Columbia — o segundo excelente quinteto, com Wayne Shorter, em seu melhor momento.
  • Miles Davis, Sketches Of Spain, Columbia — com a Gil Evans Orchestra.
  • John Coltrane, Soul Trane, Prestige — dos primeiros discos de Coltrane, este é um de seus favoritos, com Red Garland e Philly Jo Jones.
  • John Coltrane, Giant Steps, Atlantic — o álbum que qualificou Coltrane como um dos improvisadores mais importantes de seu tempo.
  • John Coltrane, My Favorite Things, Atlantic — o precursor de seu quarteto McCoy Tyner e Elvin Jones.
  • John Coltrane, A Love Supreme, Impulse — o coroamento da música modal do quarteto.
  • Charles Mingus, Charles Mingus Presents Charles Mingus, Candid — o clássico álbum com Eric Dolphy.
  • Charles Mingus, Mingus Ah Um, Columbia — contém suas composições mais conhecidas.
  • Charles Mingus, Let My Children Hear Music, Columbia - supostamente o favorito de Mingus de seus próprios álbuns; a música dele arranjada para um conjunto grande.
  • Thelonious Monk, Monk's Music, Riverside — com John Coltrane, Coleman Hawkins e outros.
  • Thelonious Monk, Monk's Dream, Columbia — seu quarteto, que teve longa duração, com Charlie Rouse.
  • Bill Evans, Sunday At The Village Vanguard, Waltz For Debby, Riverside — disponível como um álbum duplo; uma gravação ao vivo do trio com Scott LaFaro e Paul Motian.
  • Wes Montgomery, Full House, Riverside — uma das primeiras gravações dele em hard bop.
  • Sonny Rollins, Saxophone Colossus, Prestige — um de seus álbuns mais populares.
  • Sonny Rollins, The Bridge, RCA — com Jim Hall.
  • Chick Corea, Inner Space, Atlantic — um álbum principalmente de jazz straightahead, com Woody Shaw.
  • Herbie Hancock, Maiden Voyage, Blue Note - composições modais, atonais, e de vanguarda, com Freddie Hubbard, Ron Carter e Tony Williams.
  • Wayne Shorter, Speak No Evil, Blue Note — algumas de suas melhores composições, com Freddie Hubbard e Herbie Hancock.
  • VSOP, The Quintet, Columbia — gravação ao vivo com Freddie Hubbard, Wayne Shorter, Herbie Hancock, Ron Carter e Tony Williams.
  • Eric Dolphy, Eric Dolphy At The Five Spot, Prestige - com Booker Little e Mal Waldron.
  • Eric Dolphy, Out To Lunch, Blue Note — influente gravação de vanguarda.
  • Andrew Hill, Point Of Departure, Blue Note — com Eric Dolphy e Joe Henderson.
  • Max Roach, The Max Roach Trio Featuring The Legendary Hassan, Atlantic — Hassan Ibn Ali é um pianista pouco conhecido que combina aspectos de Thelonious Monk, Cecil Taylor e Don Pullen; esta é sua única gravação conhecida, e é altamente recomendada.
  • Ornette Coleman, The Shape Of Jazz To Come, Atlantic - um dos melhores álbuns de seu quarteto freebop.
  • Ornette Coleman, Free Jazz, Atlantic — uma improvisação livre coletiva, com Don Cherry, Freddie Hubbard e Eric Dolphy.
  • John Coltrane, New Thing At Newport, Impulse - concerto ao vivo; metade deste álbum é com o quarteto Archie Shepp.
  • John Coltrane, Interstellar Space, Impulse — duetos livres com Rashied Ali.
  • John Coltrane, Ascension, Impulse - improvisação livre com grandes conjuntos.
  • Albert Ayler, Witches & Devils, Freedom - vanguarda.
  • Pharoah Sanders, Live, Theresa — similar em estilo ao A Love Supreme, de Coltrane, mas mais livre.
  • Cecil Taylor, Jazz Advance, Blue Note — música relativamente straightahead, inclusive alguns standards, mas com a noção de liberdade harmônica de Taylor.
  • Cecil Taylor, For Olim, Soul Note — piano solo livre.
  • Cecil Taylor, Spring Of Two Blue J's, Unit Core - livre improvisação em grupo.
  • Sun Ra, Out There A Minute, Restless/BlastFirst — big band de vanguarda.
  • Miles Davis, Bitches Brew, Columbia — começo do fusion, relativamente livre, com Chick Corea, Joe Zawinul, John McLaughlin.
  • Mahavishnu Orchestra, Inner Mounting Flame, Columbia - fusion orientado ao rock pesado com John McLaughlin.
  • Tony Williams' Lifetime, Emergency, Polydor — fusion orientado ao rock pesado, com John McLaughlin.
  • Herbie Hancock, Headhunters, Columbia — fusion orientado ao funk.
  • Weather Report, Heavy Weather, Columbia — fusion orientado ao pop, com Wayne Shorter, Joe Zawinul, Jaco Pastorius.
  • Chick Corea e Return To Forever, Light As A Feather, Polydor — fusion orientado ao jazz latino, com Stanley Clarke e a vocalista Flora Purim.
  • Pat Metheny, Bright Size Life, ECM — fusion esotérico com Jaco Pastorius.
  • Steps Ahead, Modern Times, Elektra Musician — fusion moderno com Michael Brecker.
  • Miles Davis, You're Under Arrest, Columbia — fusion moderno mais funk.
  • Ornette Coleman e Prime Time, Virgin Beauty, Portrait - fusion moderno livre.
  • Art Ensemble Of Chicago, Nice Guys, ECM — jazz pós-moderno, world music e freebop, com Lester Bowie e Roscoe Mitchell.
  • World Saxophone Quartet, Dances And Ballads, Elektra Nonesuch — quarteto de saxofone a capella (sem acompanhamento), com David Murray.
  • David Murray, New Life, Black Saint — octeto com Hugh Ragin no trompete.
  • Anthony Braxton, Composition 98, hat ART — uma suíte pós-moderna, com Marilyn Crispell, Hugh Ragin e Ray Anderson.
  • John Carter, Castles Of Ghana, Gramavision — uma suíte de composições pós-modernas.
  • Willem Breuker, Bob's Gallery, BVHaast — big band de vanguarda.
  • Don Pullen / George Adams Quartet, Don't Lose Control, Soul Note — jazz pós-moderno orientado ao blues.
  • Improvised Music New York 1981, MU — música energética com Derek Bailey, Sonny Sharrock, Fred Frith e John Zorn.
  • Oregon, 45th Parallel, Portrait — pioneiros de New Age.
  • Paul Bley, Floater, Savoy — trio harmonicamente liberado fazendo composições de Paul e Carla Bley e de Ornette Coleman.
  • Abdullah Ibrahim, African Dawn, Enja — piano solo com influências sul-africanas.
  • Keith Jarrett, Mysteries, Impulse — quarteto com Dewey Redman fazendo pós-bop relativamente livre com influências de world music.
  • Wynton Marsalis, Think Of One, Columbia — aventuroso quinteto neoclássico com Branford Marsalis, Kenny Kirkland e Jeff Watts.
  • Wynton Marsalis, Marsalis Standard Time, Columbia - standards com alterações rítmicas, com Marcus Roberts.
  • Branford Marsalis, Crazy People Music, Columbia - aventuroso quarteto neoclássico com Kenny Kirkland e Jeff Watts.
  • Steve Coleman, Motherland Pulse, JMT — M-Base acústico.
  • Steve Coleman, Drop Kick, Novus — M-Base elétrico.
  • Gary Thomas, The Kold Kage, JMT — M-Base elétrico.
  • Cassandra Wilson, Jump World, JMT — M-Base vocal e elétrico com Steve Coleman, Gary Thomas e Greg Osby.
  • Dave Holland, Extensions, ECM — quarteto principalmente acústico moderno, com Steve Coleman, Kevin Eubanks e Marvin "Smitty" Smith.
  • Tim Berne, Pace Yourself, JMT — frenético jazz pós-moderno.
  • Michael Brecker, Michael Brecker, Impulse - pós-bop acústico e elétrico moderno.
  • Charlie Haden, Paul Motian, Geri Allen, Etudes, Soul Note — pós-bop acústico moderno.
  • Steve Lacy, Live At Sweet Basil, Novus - pós-bop acústico moderno.
  • Phil Woods, Heaven, Blackhawk — pós-bop, com Tom Harrell.
  • Gonzalo Rubalcaba, Discovery, Blue Note - pós-bop, com inflências cubanas.
  • Don Byron, Tuskegee Experiments, Elektra Nonesuch - pós-modern, pós-bop.
  • Don Pullen, Kele Mou Bana, Blue Note - pós-moderno com influências de world music e blues.
  • David Murray, Shakill's Warrior, DIW — blues pós-moderno com Don Pullen no órgão.

Vire fã do Jazzbossa.com:




© 2005-2007 Cláudio Brandt Todos os direitos reservados.